music

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Cartas de amor (Dália é Solano )





Dália...

(Lembrei-me de ti hoje)

Pela manha antes que o despertar se concluísse em mim,
já me surpreendia o teu rosto.
Já consciente e acordado, eu não conseguia esquecer-te.
É o dia tornou se lento, é as horas morosas
parece-me que a tua presença em minhas lembranças
mudará muitas coisas em minha vida.
Espero revê-la breve, sinto saudades
é tenho duvidas, acreditando que tua presença
possa esclarece-las.
Minha amiga ...(?)
Devemos conversar, despertastes-me um sentimento,
é pode ser, que me seja impossível, retomar minha rotina,
sem antes entender de ti, se este será aceito.

PS. "Espero que aceite o meu convite,
que levastes contigo sem responde-lo antes.

 
Ass:   Solano





Solano...
  

(O mesmo tem ocorrido em mim)


Como os ventos quentes, sentidos nas planícies da Espanha
tenho-o sentindo, é essa lembrança que trouxe comigo,
tem me aquecido durante a noite,
se tornando independente de minha vontade .
Tenho muita vontade de revê-lo novamente.
...Solano as vezes sozinha me faço por diversas vezes,
essa mesma pergunta,
é penso como tens pensado.
Apenas quando juntos saberemos o que decidir.
Devemos nos ver breve,
para compreendermos melhor
o que esta ocorrendo dentro de nós.
Preciso me convencer, (?)
ainda não pude entender, porque não consegui
me despedir de ti,
 é na ocasião não me imaginava
sentindo tamanha saudades de ti.
Estarei ai, nos meados da próxima primavera,
tão ansiosa por rever os campos floridos,
é muito mais agora,
por reencontra-lo..

Ps. É de minha natureza, o silencio
(quando sinto duvidas) mas agora devolvo-lhe a resposta,
aceito o teu convite.

Com saudades

Dália.






 Dália....

Confesso-lhe, como não é o habitual,
 a entrega de correspondências em minha casa fora das datas costumeiras.
Me surpreendeu a presença do carteiro, neste dia.
Me veio um lampejar de felicidade,
é esta foi tentada a se ofuscar com uma pequena sombra de dúvidas.
Eu tinha a certeza, quê eras tu a me corresponder,
estava velando por tua similitude em minha saudade.
Mas tive medo,
quê essa minha decisão de escrever-te a distanciasse, ainda mais.
O quê me seria penoso,
 (considero que seja impossível esquecer-te)
 é tão logo me seria imputado, a pagar pôr este erro,
sem o merecer de tua amizade,
que já me é suficiente, tê-la por perto, apesar da distancia.

Pôr querer-te tão bem, vê-la feliz, já me tornaria feliz.
Maior saudades tenho eu de ti agora,
quê sei quê também estás a sentir saudades de mim.
Dália, estou contando os dias,
e queria ser como os ventos quentes e quê sobem do Saara
Africano em direção a Espanha,
não para quê apenas me sentisse,
mas para encurtar as estações quê nos separam desta próxima primavera.
É tão logo revê-te sorrindo,
como as dálias azuis nos campos.
Assim é para mim a lembrança dos teus olhos.
A cada dia, tenho menor dúvida do quê sinto,
é maior saudades logo me sobreveio do quê poderei sentir,
ao teu lado, é mais uma vez vê-la partindo.

Beijo tuas mãos em reverência,
através das letras escritas nessa carta,
que antecedem-me nessa vantagem de toca-la primeiro.

Com saudades...

Solano.

Ps. Temia pelo teu silencio, mas agora
o tenho como um aliado, que soube guardar
tão bem o que esperava ouvir.




Solano...


Me alegrei muito, ao ler tua carta.
Pude sentir teu beijo em minhas mãos.
Foi essa impressão que tive de ti quando o vi,
pela primeira vez...
Um homem diferente, é isto me incomodava muito,
o que teus olhos tinham a dizer.
É a segurança que transmitia em tuas palavras.
Tão educadas, como um sonho voluntario
que é convidado a se apresentar antecedendo o sono. 
Me encanto ainda mais, descobrindo que a distância
não é obstáculo para o teu romantismo. 
Obstáculo, foi o que me propus para me proteger
de alguns sentimentos, que julgava prematuros é não prontos
para existir entre nós dois.
Por esses motivos, resisti, é trouxe comigo apenas
as lembranças de um bom amigo.
Agora receio-me, entre maiores duvidas,
é breve teremos o nosso tempo,
e descobriremos juntos o que vai ser de nosso futuro.
No momento apenas saudades é tremores pelo meu corpo,
pela ansiedade de rever-te.



Com muitas saudades

Dália.




Dália...


Por bondade o tempo está, passando rápido,
creio que as certezas, contribuem para  o conforto do meu coração.
Os ocios do inverno estão chegando ao fim.
É algumas ansiosas plantas já estão se espreguiçando,
diante de um tímido sol.
Breve os campos se estenderão como a um tapete de cores.
Eu já a imagino caminhando em meio a todas elas,
é saio ao teu encontro, como os rebentos que se erguem
para exibir tuas flores.
Dália, a espero no dia marcado
com a saudade que tem me acompanhado
todos esses dias.
Não a reclamo mas a admiro,
essa saudade manteve nítida,
as lembranças de ti,
é foi ela que me encorajou a escrever-te,
é ela tem sido a nossa aliança...
Nos unindo mesmo na distancia.

A aguardo, já com a certeza
do que tenho a lhe dizer.

Solano.





Solano...


Já estou me preparando, para a viagem,
está muito próximo o dia, de meu embarque.
Talvez eu chegue logo após essa carta.
Assim espero.
É a nossa próxima correspondência,
será de todas a mais linda.
A escreverás aos meus ouvidos,
com o som de tua voz.
E lerás as minhas palavras,
antes que estás se transformem em letras.
Creio não poder ficar mais que uma semana ai,
é o tempo que estivermos juntos,
dependeremos  muito mais dele,
do que ele da gente.
Pois ele passará, a nossa frente
quando estivermos juntos.
E, se nossos sentimentos se confirmarem
um dia recuperaremos todo o tempo perdido.
(Confesso-lhe minha vontade)
Era de estar ai ao teu lado agora.

Com carinho

Dália.

Ps. Estou chegando.


(Lourisvaldo Lopes da Silva)

Continua,



Logo após o reencontro, a distancia os separou mais uma vez,
é mais uma vez a intercessão de suas correspondências,
os convenceu, não dava mais para viverem longe um do outro.



Dália é Solano.


Continuação

Cartas de amor...
(As cartas que não foram escritas)







Chegou o dia,
(o amor também almeja por um marco
em sua historia).
   
Um dia capaz de mudar toda uma vida.

Como falar a língua dos sentimentos?
Quando o corpo assume a responsabilidade de convencer  a outrem,
a presença deixa de ser física.
E a emoção é quem traz a certeza.

Dália, estava ali (aonde todo amor deveria estar)
No lugar certo, Na hora certa, e com a pessoa certa

...Solano, trazia na face de seu rosto a mais linda frase de reencontro,
é Dália, expressava em teu sorriso, a mais bela resposta
que se pode ouvir de quem se ama.

Quando as emoções são muito fortes, é a hora de esquecermos
as palavras, (e são as não inventadas ainda)
que estão aptas para assumir estes momentos.

Apenas aquele primeiro abraço,
já seria suficiente para responder todas as duvidas
que eles tiveram um dia.

Mas os sentimentos devem ser respeitados,
 dentro do seu momento tão desejado,
precisam se apresentar um ao outro,
é todo o silencio do mundo é requerido nessa hora.

Como dizer amizade em silencio?
Não diga, apenas transmita
por mais esplendoroso que seja o amor, ele é simples
é precisa se formar de pedaços bons de tudo.

Como dizer "Eu te amo" quando faltarem as palavras?

-Abrace, como se jamais fosse permitir  a partida,
[é se tiver essa oportunidade não deixe que parta]

-Olhe nos olhos,
quem ama,
ama primeiro por dentro
e quem sabe que é amado?
Também o sabe que é, por dentro.

-Toque a pessoa amada,
as mãos tem esse poder, de garantir que é nela que estás pensando.

"Dália", quão lindo é o amor de uma mulher amada.
"Solano", quão forte é o homem capaz de assumir um amor.

Tive eu a sorte de mil reis, ao ser me permitido
contar a vossa historia.
E nenhum destes mil reis, tiveram a sorte
de ter esse legado
"Ser poeta".

Dália é Solano,
o que repousará sobre vós
para adornar este amor?

Ah Primavera, minha amada
o destino não poderia preparar
testemunha melhor que ti,
que enfeitas com tuas Diademas de flores,
os mais perfeitos romances que já
passaram por aqui.


7 dias se passaram para o mundo,
e este mesmo mundo vai ter de se curvar diante de um amor verdadeiro.
E a distancia tão ousada (em separar),
será reduzida até que ambos se tornem apenas um.

Dália é Solano

...Cartas de amor

  Continuação...

(Lourisvaldo Lopes da Silva)





Minha amada Dália...


Logo após a sua partida,
anunciei a todos a nossa decisão.
Houve consenso e entusiasmo,
entre os meus familiares, e amigos
(diante deste nosso amor)
Entendi, que quem nos ama,
amam também  a quem amamos.
Toda minha família, se alegra
(não mais que eu) por ti.
Mas eles desejam te conhecer,
é nos desejaram toda a sorte do mundo.
Diante deste meu anelo, de tê-la ao meu lado,
perceberam nitidamente, que és a pessoa certa
para mim.
Estou com saudades,
saudade diferente a que sentia antes,
de nos confirmamos em nossos votos perante todos.

Essa saudades de hoje (é como o levantar de aurora)
anunciando que logo, amanhecerá novos dias,
é, em todos eles estaremos juntos.

Logo nos primeiros dias do ano,
quando as frutas ainda novas se  exibirem nas arvores.
E os dias já aquecidos pelo adentrar do verão.
Estarei indo visita-la,
para juntos anunciarmos a tua família,
a nossa decisão.

Hoje encomendei as alianças,
elas contornaram os nossos dedos.
Assim como o nosso amor,
a de nos cercar por todos os nossos dias.

Minha amada, Minha noiva
breve 
chamar-te-ei de minha esposa.

Te desejo muito é tenho muita saudade.

Teu amado
                 Solano.

 Ps. Como foi em teu retorno, chegastes bem?
  

   

 
 Ao meu grande amor

 Solano...


A viajem foi tranquila, meu amado,
menos pelo desejo ardente de ter ficado contigo
(tudo ocorreu muito bem)

Logo ao desembarcar,
me vi indagada, pelas pessoas que já dantes conhecia.
Estava notório em meu rosto, (a felicidade)
de trazer-te presente comigo, dentro do peito.
Duas amigas minha, (se misturaram em suas perguntas,)
uma ao perguntar-me "Qual o motivo de minha felicidade"
a outra já respondeu em meu lugar,
"Ela está amando, Esse brilho no olhar é de quem está amando"

Meu amado Solano, não sei porque dizem que o amor é abstrato,
se ele é tão facilmente reconhecido.
Me lembrei com mais veemência de ti nessa hora,
penso que meus olhos brilharam mais ainda.

Já é do conhecimento de minha família, o nosso
compromisso, é de igual forma estão se dividindo,
entre aprovação é preocupação.

Temem por não conhecerem-te, (isso logo será) resolvido com
a tua chegada,
existe entre os meus parentes alguns que já o conheciam,
é como é do feitio da justiça, devolver ao homem o que planta,
todos tem-lho gabado por aqui,
é me sinto orgulhosa que sejas o que dizem,
e em nada existe duvidas sobre o teu caráter.
E da personalidade própria que tem esse sentimento
que sentimos um pelo outro.

Este verão me trará você,
quando estiver aqui
quero que veja as videiras,
estás estarão carregadas de seus frutos tenros,
é o ciclo da vide será o nosso calendário.
Como já concordamos entre nós.

Meu amado, Meu noivo
Antes do fim da colheita das uvas,
estaremos juntos por todos os dias,
é nossa aliança se confirmará
como o ciclo das videiras,
seremos nossos cultivadores.

 Tenho, igual saudade de ti
mas uma saudade, que a cada dia se dispersa um pouco,
logo logo não a sentirei mais,

Te amo, é o aguardo com este amor,
que saberá bem dissipar essa saudade que existe em nós dois.

Dália.

 
 



Dália, minha amada (saudades)



Estou ansioso, por conhecer a terra que
sobre a qual crescestes (minha flor)
E ansioso por conhecer, (os quais já gosto tanto)
tua família. 
Já estarei partindo na próxima semana,
fico feliz ao saber que,
alguns de meus já de outrora conhecidos
são teus parentes,
é me sinto honrado (não apenas pelo reconhecimento)
e confiança que estes mesmos disseram de mim.
Mas por está perto o dia, que poderei dizer
que tua família, é também a minha família.
Como não se orgulhar, eu que o diga
diante da honra é moral,
 que estes trazem consigo por onde passam.
Diga a Jonatham teu tio é Joel teu primo,
que estou mandando minhas saudações a eles,
que a passagem deles por aqui,
deixou saudades em todos que os conheceram. 
logo estarei ai,
é faço questão de revê-los e que sejam nossas testemunhas,
e que todos teus familiares é amigos,
façam parte deste ciclo,
é que no colher das ultimas safras das uvas,
no dia marcado estejam todos presentes,
para presenciarem a consolidação do nosso amor.
(Foi do meio deles) que surgistes, minha amada Dália,
é me seria injusto negar-lhes a gratidão por ti.


Te amo muito, é aguardo (ansioso) pelo dia de nosso casamento.


Solano.
    

(Lourisvaldo Lopes da Silva)


Cartas de amor...
Continuação

 
Quem encontra um sentimento verdadeiro,
não importa como,
mas sabe-se, por dentro que é verdadeiro.

Pode estar nas palavras
ou no silencio 
de uma 
carta.

Quem ama não envia apenas palavras
(envia certezas)


Solano amou,
(Amor nunca perde tempo),
nem se arrepende,
Por si só, responde por todos os outros
sentimentos.
-"Amor surpreende!"


Dália teve duvidas,
(medo de amar)
-de se entregar.

O amor sabe banir indagações,
tem coragem de se declarar
(tem coragem de se entregar)
Amar é muito mais que emoções.

Eles se casaram,
e houve festa,
como quando se encontraram.
Paciência (é uma ciência) 
Quem quer lembrar não pode ter pressa.

Depois de alguns anos...
Em um certo dia,
 Dália estava triste,
Solano havia saído em uma viagem
estava ausente a muitos dias.

Ela se lembrou das cartas
trocadas entre eles.

Estavam tão bem guardadas,
como vivas em sua memória.
Não existem paginas arrancadas
(ou esquecida)
 quem ama sua própria historia,
sabe valorizar até mesmo o passado em sua vida.


 Ao ver as correspondências,
notou que havia uma a mais
(com data mais recente)


Para: Dália
De quem nunca deixou de te amar...

Quando, vi que seria impossível adiar
minha viagem, (por não querer deixar-te sozinha)

Quis te fazer essa surpresa, para que saibas,
que ainda sou o mesmo
E cada dia que passo ao teu lado,
eu a amo mais.

Dália, surpreendo-me diante de tua beleza
todos os dias,
 vejo-te,  sempre mais linda, e mais junto de mim.

Como não sentiria a tua falta minha amada?

"Se logo ao me ver imaginando um dia longe de ti,
já tinha saudades tuas, mesmo tu estando ao meu lado."

  Não quero que te sintas sozinha,
porque jamais deixarei que fiques.

Estou confortado por teu amor,
porque sei que farias o mesmo que eu.
Se ti ausentasses de mim,
por algum tempo.

Eu
(Adormeceria relendo as nossas cartas)
relembrar o nosso amor
traria-te em meus sonhos,
é saber que estamos juntos me confortaria em tua ausência.
 
É pensando em ti 
para que soubesses sempre, que a amo muito,
escrevi essa carta é a misturei as nossas lembranças.

Queria está ai do teu lado agora,
para admirar teu olhar tão lindo, que sempre deixou claro,
teu amor por mim.

Mas confesso-lhe (estou ai)
como no passado, 
através de nossas  cartas.

E com maiores saudades que outrora sentia. 

O mais breve possível,  
estarei voltando pra casa,
é já me propus a empenhar-me até o ultimo 
recurso possível, para que não me ausentes mais de ti.


Te amo muito,
ao sonhar também sonharei,
é quando acordar
farei de tudo para  retornar a ti.


Com imensas saudades de ti,
 minha amada 
Dália...

Ass:


Solano.
 
Obs:
O hábito de escrever cartas,
se consolidou entre os dois por todos os dias 
de suas vidas.

Dália foi a mais feliz das flores,
(porque se lia através das cartas de Solano)
 É ambos se realizavam, por saberem
que viviam entre-si 
este amor que escreviam,
os encantavam sempre ao se lerem.


Fim.


(Lourisvaldo Lopes da Silva)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados