music

quinta-feira, 4 de maio de 2017

(Conto) Só quem ama sofre! E só quem ama vence...

Traição;
(Só quem ama sofre! E só quem ama vence...)

A inexplicável dor de Ana

― Não! "Você não vai de sair de casa  assim amarrotado!"
(O cuidado de Ana era um gesto notável e admirado por todos)

― Este aí sim é um homem sortudo! (observações do povo)

Murilo deveria se sentir assim ―devido o quanto ele era amado.
Sim! Muito amado mesmo! Mas as vezes eu me pergunto...?

"Porque na maioria dos casos, gestos sinceros de amor
tem tão pouco valor?"

― Agora sim eu encontrei uma pessoa que gosta mesmo de mim!
(Murilo) No começo reconhecia o valor deste amor
no cuidado e zelo de Ana para com ele.

― gestos louváveis sempre indicam quem ama...

Ana fazia questão de se levantar de madrugada bem antes que ele,
para quê quando ele se levantasse para ir ao trabalho
tudo estivesse perfeito.

O café quentinho servido na hora
mesa repleta, fatias de bolos e salgados que ela mesma fazia
e para completar já quase no finzinho da madrugada
um olhar atento e intensamente carinhoso
de uma mulher apaixonada,
é um pedaço do céu da mais formosa aurora.

― Que mulher bonita! (Impossível não nota-la)
― "Além de ser muito honesta, ainda é muito trabalhadeira." 
Alguns cortejos cochichados
de pessoas admiradas que a conheciam.

Murilo estava próspero em seu trabalho,
aparentemente satisfeito em sua vida amorosa
e muito motivado...
(Também pudera)
― quem ao lado de uma Ana como essa também não estaria?  

Pode parecer uma simples cobiça
('mas era inveja mesmo!')

Já observaram sempre tem alguém valorizando o alheio,
mais do quê aquilo que é seu!
Nada pode ser melhor do que algo que possas
dizer de peito aberto "Este é meu!"

[E Murilo era um homem invejado]

 Cobiça - Inveja - Usura - Ingratidão - Insatisfação e etc...
―Livra-nos deste males ó Deus!

["― O Murilo tá ficando louco! Ou cego!"]

(Quando saiu o boato que ele estava traindo Ana
essa era a frase que unanimemente se ouvia entre quem os conhecia)

― Além de louco e cego é também um burro!
(Alguns mais revoltados) Como eles pensavam, e sobre ele diziam.
Por Murilo não valorizar aquilo que tinha. 

O medo para ser vencido deve ser confrontado,
assim como é impossível neste mundo se guardar um segredo
tão bem escondido
que cedo ou tarde ele não seja revelado.

A infidelidade de Murilo
veio a tona e se alastrou, até chegar aos ouvidos de Ana.

Querida e doce Ana... Agora sentia uma dor estranha!

Uma dor que escorre pelo rosto,
como pedras que rolam da montanha
são essas abundantes e amargas lágrimas.

Em um dia triste (ditos do desgosto)
Páginas escritas nessa vida nunca mais se apagam. 

A casa de sonhos repleta agora estava vazia
e tentava engolir os dois,
Corações partidos vagam sozinhos e sem poesias.

Mas a ultima esperança antes de partir se volta,
e bem antes de sair pela porta ela ouve;
― Fique Ana! ― Eu te peço mais uma chance para o nosso amor!!!

Murilo escolheu um caminho sem volta
― Semear ilusões em um campo de dor ―

Um adeus entre vivos, deixa grande lacunas
mundos incompletos e universos vazios.

...No outro dia Ana pensou no amor que sentia por ele,
e então tomou uma decisão

― (Vou dar a ele uma nova chance!...)

"Ei Menina Ana! Quem não Ama não tem Coração
O Murilo da noite passada nem se lembrava mais
um juramento fingido é como um suposto amigo
que assim que conseguiu o que queria, foi-se embora
deixando o outro para traz...

Quando Ana se aproximou de sua antiga casa,
ouviu os dois amantes, comemorando a separação...

― Até que enfim ela se foi!
Na traição; ― vitória é uma comemoração à dois.

Um dia eu perguntei a um coração ferido
de todas as dores quais são as piores?
― As maiores dores são aquelas que nos corroem por dentro,
― As que roubam a nossa paz, 
― E as que tentam matar os nossos sentimentos!

"Ana saiu desolada pela rua, chorando e buscando em si mesma;

― (Ó Deus! O que foi que eu fiz de errado? Aonde foi que eu errei?)

Passaram se os primeiros dias,
e depois vieram os segundos em intermináveis horas...

A dor de Ana só aumentava,
por cada encenação que ela lembrava
um novo pranto de seus olhos jorrava.

Ana hoje pouco sorri e muito chora.

― Essa mulher vai acabar adoecendo desse jeito!
(Seu estado emocional nos preocupava muito
Ela parecia estar sem chão, se fechou para o mundo
e se protegeu na solidão.)

Um dia fui procura-la preocupado com a tristeza que
havia tomado conta dela quando me avistou,
fez logo essa pergunta;

― Porque apenas eu pareço estou sofrendo tanto!

(Como consolar uma alma tão ferida e magoada?)

― Ana porque apenas você amava.
― E, Ana
...só quem Ama sofre!

Ana não desistiu de amar,
disse que queria morrer.
― Mas amor não mata minha doce Ana,
mas a ajudou a esquecer...

O amor pode se mostrar frágil
quando ferido...
E por algum tempo se aparentar ofuscado,
mas o diamante mais precioso da terra
não tem sequer uma pequena centelha
de seu intenso brilho.

O amor de Ana foi restaurado,
mas não foi Murilo,
quem mereceu novamente o melhor que existia nela.

Homem de sorte,
é aquele que ama e que fica
com um amor de verdade,

Um amor como o de Ana
é um amor pra toda uma vida.



Fim.


L.L.S
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados